Archive Page 2

ig

Anúncios

silencio-02

9d5d25a55adb8b935e38e929aa9cb1f1--chata

honre

“Querido, o que você mais impõe em sua vida é, geralmente, onde você deseja se provar.

Nós perguntamos: A quem?

A necessidade de ser reconhecido como certo ainda está demonstrando a necessidade de aprovação dos outros, ou concordância dos outros, antes que você possa deixar algo ir e honrar a si mesmo.

Não há necessidade do outro para lhe dar permissão para sentir como você se sente.
Se algo parece errado para você, é.

Não há necessidade de se defender, explicar-se ou fazer o que os outros querem, pois isso não é correto para o seu caminho. O fato de não sentir-se bem é a única razão pela qual você precisa redirecionar e escolher algo diferente.

Você não pode entrar em sua própria mestria e ainda buscar a aprovação dos outros, pois não honrar seu próprio caminho e procurar por validação externa, é uma forma de dar seu poder.

Você é consciente, sábio, cuidadoso e o único especialista qualificado em você.

Você já tem tudo dentro de você para discernir o que lhe dá poder e combina com você energeticamente. Você pode honrar as abordagens dos outros com firmeza e gentileza, sem a necessidade de torná-los errados.”

Arcanjo Gabriel
Através de Shelley Young
decoracaoacoracao.blog.br

deus

As Dores e os Dissabores da Exposição

197da5247ebac56c1e99c5dfae0fe55b

Comeco pelos sabores, lembrando que somos todos um, literalmente. Somos alma, um pedacinho do grande espirito, chamado tambem de Deus, Deusa, Poder Criativo Divino, Amor Universal, que está por trás, e dentro, e por cima, por fora, de tudo e de todas as coisas. Nós SOMOS um pedacinho desse TODO, uma gotinha do oceano, a verdade manifestada aqui na 3º dimensão.

O que nos impede de viver nossa essência divina? Nossa inconsciência, formada por tudo que renegamos e jogamos “embaixo do tapete. Nossas vulnerabilidades, dores, medos, distorções, inveja, orgulho, arrogância. Por que jogamos embaixo do tapete? Porque acreditamos na dualidade, que existe certo e errado, que existe o molde do homem e o da mulher. E usamos máscaras na tentativa de nos adaptar à estas crenças.

Quando começamos a expor nossa vulnerabilidade/inconsciência, comecamos a ressignificar e transformar a inconsciência em consciência. Começamos a acender a luz do quarto escuro que nos habita, e que nos impede de desabrochar enquando amor incondicional que SOMOS em essência.

E esse processo pode trazer dores, a dor de olharmos pra tudo que fingimos por tanto tempo não existir dentro de nós. Essa é a dor da cura. A nossa vida fica melhor quando vira um livro aberto e paramos de esconder dos outros nossa parte sombria, porque se escondemos dos outros, no fundo estamos escondendo de nós mesmos, até porque nem existe esse “os outros, e “nós mesmos”.
No mais profundo, não abrimos nossas vulnerabilidades, nossas distorções, nossa sombra, pelo receio que temos do julgamento alheio, pelo medo de não sermos apreciados, amados, e nos sentirmos rejeitados. Tudo isso porque esquecemos que SOMOS tudo que buscamos nos outros e fora de nós.

Que acordemos para a realidade do que SOMOS, que despertemos para a necessidade de nos aprofundarmos dentro de nós mesmos, passando pela escuridão interna, até que tudo seja iluminado, e possamos chegar no nosso propósito final, nos expressarmos enquanto aquilo que SOMOS, o intransitório, o imutável, a verdade e o amor manifestados dentro de um corpo físico.

@famanzoli

 

Você está sempre “esperando” alguma coisa?

gil

 

Você está sempre “esperando” alguma coisa?

Quanto tempo da sua vida você passou esperando? Chamo “espera de pequena escala” à espera na fila do correio, num engarrafamento de automóveis, no aeroporto, por alguém que vai chegar, um trabalho que precisa ser terminado, etc. Chamo de “espera em grande escala” à espera pelas próximas férias, por um emprego melhor, pelos filhos crescerem, por uma relação verdadeiramente significativa, pelo sucesso, para ficar rico, para ser importante, para se tornar iluminado. Não é raro que as pessoas passem a vida toda esperando para começar a viver.

Esperar é um estado mental. Significa basicamente desejar o futuro e não querer o presente. Você não quer o que conseguiu e deseja aquilo que não conseguiu. Em qualquer dos tipos de espera você, inconscientemente, cria um conflito interior entre o seu aqui e agora, onde você não quer estar, e o futuro projetado, onde você quer estar. Essa situação reduz grandemente a qualidade da sua vida ao fazer você perder o presente.

Não há nada de errado em nos empenharmos para melhorar a nossa situação de vida. Podemos melhorar a situação da nossa vida, mas não podemos melhorar a nossa vida. A vida é básica.
A vida é o Ser interior mais profundo. É um todo, completo, perfeito. A nossa situação de vida se constitui das nossas circunstâncias e experiências. Não há nada de errado em estabelecermos metas e nos empenharmos para conseguir bens. O erro reside em usar isso como um substituto para o sentimento da vida, para o Ser. O único ponto de acesso a isso é o Agora. Agimos, assim, como um arquiteto que não dá atenção às fundações de uma construção, mas que gasta um bom tempo trabalhando na superestrutura.
Por exemplo. Muitos de nós estamos à espera da prosperidade. Ela pode não acontecer no futuro. Quando respeitamos, admitimos e aceitamos completamente a realidade do presente – onde estamos, quem somos, o que estamos fazendo agora –, quando aceitamos o que temos, significa que estamos agradecidos pelo que conseguimos, pelo que é, pelo Ser. A gratidão pelo momento presente e pela plenitude da vida atual é a verdadeira prosperidade. Não está no futuro. Então, no tempo certo, essa prosperidade se manifesta para nós de várias maneiras.

Se você não encontra satisfação nas coisas que possui, se tem um sentimento de frustração ou de aborrecimento por não ter tudo o que quer no presente, isso pode levá-lo a querer enriquecer, mas, mesmo que consiga milhões, continuará a ter uma sensação de que falta alguma coisa. Talvez o dinheiro lhe compre muitas experiências excitantes, embora passageiras, deixando sempre uma sensação de vazio e estimulando uma necessidade de gratificação física ou psicológica ainda maior. Você não vai se conformar em simplesmente Ser e, assim, sentir a plenitude da vida agora – a verdadeira prosperidade.

Portanto, desista da espera como um estado da mente. Quando você se vir escorregando para a espera… pule fora. Venha para o momento presente. Apenas seja e aprecie ser. Quando estamos presentes, nunca precisamos esperar por nada. Portanto, da próxima vez que alguém disser “desculpe por ter feito você esperar”, sua resposta pode ser: “Está tudo bem, não estava esperando. Estava aqui contente comigo, com meu eu interior”.
Essas são apenas algumas das estratégias comuns da mente para negar o momento presente já incorporadas à inconsciência comum. São fáceis de passar despercebidas porque já estão entranhadas em nosso modo de vida, como o ruído de fundo do nosso eterno descontentamento. Mas, quanto mais você praticar o monitoramento do seu estado interior emocional e mental, mais fácil será perceber em que momento você foi capturado pelo passado e pelo futuro, bem como despertar da ilusão do tempo dentro do presente. Mas tenha cuidado porque o eu interior falso e infeliz, baseado na identificação com a mente, vive no tempo. Ele sabe que o presente significa sua própria morte e sente-se ameaçado. Fará tudo para afastar você do Agora. Tentará manter você preso ao tempo.

 

Eckhart Tolle

nossaconversa

O Mundo sob a perspectiva da criança | Isabela Minatel

Sem título-1

EV

amor

Sagrado Feminino

Quando cada mulher voltar a olhar-se como uma manifestação da própria Mãe-Terra, geradora de vida e nutridora, entenderá que é sagrada e perceberá em si mesma, que os seus ciclos são iguais aos da terra, perceberá a grande energia que flui dentro de si e no seu corpo, na sua mente criativa e no poder criador e fértil que alberga. A tomada de consciência de si mesma, como mulher, e onde reside a força do Sagrado Feminino, trazer de volta a confiança interna, e o espiritual que há em si mesma e em tudo o que a rodeia. Permitindo-lhe compreender e aceitar os ciclos naturais do seu corpo como vivências e processos naturais e de comunhão com a terra, o universo. Esta tomada de consciência, contribui para uma Nova era de transição que atravessamos onde tudo ao nosso redor é SAGRADO uma Nova consciência do seu EU de SER MULHER SAGRADA.

O CONVITE

dança1.jpg

Não me interessa o que você faz pra viver. Quero saber o que você deseja ardentemente, e se você se atreve a sonhar em encontrar os desejos do seu coração.

Não me interessa quantos anos você tem. Quero saber se você se arriscaria parecer que é um tolo por amor, por seus sonhos, pela aventura de estar vivo. Não me interessa que planetas estão em quadratura com a sua lua. Quero saber se você tocou o centro de sua própria tristeza, se você se tornou mais aberto por causa das traições da vida, ou se tornou murcho e fechado por medo das futuras mágoas.

Quero saber se você pode sentar-se com a dor, minha ou sua, sem se mexer para escondê-la, tentar diminuí-la ou tratá-la. Quero saber se você pode conviver com a alegria, minha ou sua, se você pode dançar loucamente e deixar que o êxtase tome conta de você dos pés à cabeça, sem a cautela de ser cuidadoso, de ser realista ou de lembrar das limitações de ser humano.

Não me interessa se a história que você está contando é verdadeira. Quero saber se você pode desapontar alguém para ser verdadeiro consigo mesmo; se você pode suportar acusações de traição e não trair sua própria alma. Quero saber se você pode ser leal, e portanto, confiável.

Quero saber se você pode ver a beleza mesmo quando o que vê não é bonito, todos os dias, e se você pode buscar a fonte de sua vida em sua presença. Quero saber se você pode conviver com o fracasso, seu e meu, e ainda postar-se à beira de um lago e gritar à lua cheia prateada: “Sim!”.

Não me interessa saber onde mora e quanto dinheiro você tem. Quero saber se você pode levantar depois de uma noite de tristeza e desespero, cansado e machucado até os ossos e fazer o que tem que ser feito para as crianças.

Não me interessa quem você é, como chegou até aqui. Quero saber se você vai se postar no meio do fogo comigo e não vai se encolher.

Não me interessa onde ou o que ou com quem você estudou. Quero saber o que o segura por dentro quando tudo o mais fracassa. Quero saber se você pode ficar só consigo mesmo e se você verdadeiramente gosta da companhia que tem nos momentos vazios.

Por Oriah Mountain Dreamer

svs


  • 3,003,682 visitas

Enter your email address to subscribe to this blog and receive notifications of new posts by email.

Junte-se a 749 outros seguidores

Loja Virtual

Houve um erro ao recuperar imagens do Instagram. Uma tentativa será refeita em poucos minutos.

Ver por categoria

Anúncios