Archive for the '[Reflexões]' Category

Better together :: Jack Johnson

Como desenvolver a flexibilidade?

Sem Título-1

75454109_2219436555017331_7962324823455586390_n

8a0b0392-db88-48df-8d83-5a08d23c0ec2

Covid-19 e as 5 fases do Luto

034b4b0a-b89e-4be4-9f36-2c7d8672329b5 fases do luto

Que estamos em perigo nenhum noticiário esconde. Mas porque algumas pessoas tem tanta dificuldade em aceitar a realidade ou obedecer as regras?

Estamos diante de um vírus mortal. Mais de 100 mil pessoas morreram e milhões de pessoas estão infectadas. Isso não é opinião. Os números não mentem. Mas o que há com as pessoas que preferem negligenciar informação? É fuga? Medo? Negação? Ignorância? O que pode ser?

Diante de uma dor terrível, como por exemplo a morte, a primeira fase do luto é a negação. Negar pode momentaneamente apaziguar a dor. Dizemos coisas como, “não é nada” ou “bobeira!”. É um mecanismo de defesa eficiente para nos proteger de nós mesmos, até que a gente caia na realidade. É um tempo de cura, uma parte importante do processo de aceitação. Mas não se iludam. Isso não muda os fatos, nem enfraquece o vírus. Negar, pode até nos proteger do nosso medo, mas não nos protege do virus. Aliás, pode nos levar até ele.

A segunda fase do luto é a raiva. Vi no noticiário de ontem que um homem foi diagnosticado com covid-19 e agrediu o médico que deu a noticia. Quando a negação não funciona mais, a dor é liberada agressivamente. A pessoa precisa culpar algo para extravasar a energia da frustração e dor.

A terceira fase é a barganha. Você acha que fazendo algo de bom será poupado das coisas ruins. Nessa fase tentamos negociar como ultimo recurso. Mas isso também não funciona. O vírus não seleciona e não negocia. Ele não tem capacidade intelectual para isso. É você que tem inteligência.

A quarta fase do luto é a depressão. Sim, você começou a ficar consciente. É triste ficar isolado. É muito doloroso e sofrido ficar longe das pessoas que amamos. Mas enfim, a depressão existe porque você já enxerga o que está acontecendo e sofre com isso. Você sabe que sair de casa te coloca em risco. Você sabe que tocar o outro pode ser perigoso. Você está ciente e por isso fica deprimido. É bom. É a dor de ver e de entender que você é parte ativa da solução ou do problema, depende de você.

A quinta e a última fase é a aceitação. Você entende perfeitamente a letalidade do problema. Você ouve a ciência. Respeita as recomendações dos órgãos competentes para tal. Você é cuidadoso com você e com o outro. Quando precisa sair, respeita os limites de proximidade e usa mascaras. Aceitação é quando vemos o que é, do jeito que é.  Sem julgamento.

Muitas pessoas estão morrendo de medo, muitas pessoas irão passar a fome. Eu não vou julgar porque cada um tem a sua dor e o seu medo. Para alguns, o medo da morte é ação para se proteger. Para outros o isolamento é a própria morte. Eu não sei qual a sua dor, mas aproveite esse momento pra você se olhar e se conhecer melhor….

karinizumi

O que é ajudar?

CONFIE

Uma pessoa quer fazer uma macarronada e não sabe como preparar. Ela está perdida e se debatendo na cozinha. Você que está olhando a situação de fora, acha que a pessoa deveria fazer batata doce assada e começa a palpitar. Aconselha ela a fazer a batata porque vai matar a fome dela. Você já fez uma vez, é fácil,  ficou delicioso, gostoso, matou a sua fome e ainda emagreceu. Fez bem pra você, porque não faria para ela?

Olhando essa situação hipotética, o que você pensa? A pessoa que quer ensinar a outra a fazer batata está ajudando?

Com as melhores das intenções, e dotado de algo que quase 99% das pessoas intitula como “ajudar” nós fazemos isso o tempo inteiro. Nós damos pitacos e conselhos e quando alguém acha ruim a gente fala: eu só estou tentando ajudar!

Quando você dita o que a pessoa deve fazer ao invés de pergunta o que ela quer, você não está ajudando, esta mudando a rota de escolhas, interferindo no livre arbítrio e provavelmente no resultado da vida de uma pessoa.

Quando você aconselha a pessoa a fazer algo baseado no que você quer, acha ou acredita e não no que a pessoa deseja você não está ajudando, está  induzindo ela ao erro.

Você tem consciência de quanto você pode estar atrapalhando ao invés de estar ajudando? Você está consciente das responsabilidade que você assume ao fazer isso?

Quando quiser ajudar alguém lembre-se:

Ajudar é ouvir a pessoa. Porque quando ela fala, ela escuta suas próprias palavras e muitas vezes entende o que quer. Isso é terapia.

Ajudar é fazer as perguntas certas. Geralmente quando estamos numa situação nova e não sabemos como agir é porque não sabemos o que fazer. Ser questionado nesses momentos nos ajuda a encontrar as respostas certas.

Você só consegue ajudar se souber o que a pessoa quer e o mais importante:  se souber como solucionar o problema. Muitas pessoas querem ajudar mas não sabem como fazer. Essas são as que mais precisam de ajuda pois não sabem como fazer, não estão tentando fazer ou aprender e querem ensinar como fazer. Mais atrapalham do que ajudam.

Você já viveu isso? Estar se sentindo confuso e perceber que conselhos e palpites te deixam mais confuso ou até se sentindo mal? Ouça a si mesmo, caso não consiga, procure ajuda das pessoas que te ouçam. Dentro de você há todas as respostas. Confie no seu senso interior!

karinizumi

ser vc

madamcjwalker

ACALMA

 

Sem Título-1

88dedc37-b5df-4b81-b0f2-6088fe437268

Por que você não consegue mais EVOLUIR? | Eurekka

nossas gaiolas

22b677ddf983b2e14b1bf3852bb0fb25

É saudável ficar perto de pessoas que me perturbam só porque são meus parentes?

É saudável manter uma relação que já caducou porque foi boa durante a maior parte da  minha vida mas já não é mais?

É saudável viver preso a pessoas que me fazem mal com a justificativa de amar?

Não, não é saudável. É uma doença tão grave quanto a violência que vemos por ai, porque é uma agressão com a gente mesma.

Não é saudável manter uma relação porque temos que provar alguma coisa pra alguém ou pra gente.  Amar não é engaiolar ninguém. Muito menos você mesma.

Fomos ensinados a ficar juntos, em nome do amor. Que quando a gente ama temos que “ajudar” o outro a mudar, em nome do amor. E que devo agir dessa forma porque EU sei o que é melhor para o outro.

E sabe mesmo?

Enquanto criamos gaiolas, acreditando que isso é amor, perpetuamos a violência no mundo. Enquanto nos mantivermos nas gaiolas dos outros, acreditando que isso é amor, perpetuaremos a crença de que somos vitimas indefesas e continuaremos na dependência de que alguém lá fora irá nos fazer felizes.

O Amor une e união só é possível com leveza. Se vira obrigação, já deixou de ser união pra ser prisão. Aparentemente os dois são iguais.  As pessoas se mantem juntas. Porém internamente um causa felicidade e o outro sofrimento. Um causa depressão e o outro gratidão.

karin izumi

 

 

78


Enter your email address to subscribe to this blog and receive notifications of new posts by email.

Junte-se a 751 outros seguidores

Conheça meu trabalho!

  • 3.127.096 visitas

Ver por categoria