Archive for the 'Emoções' Category

Nós somos feitos de EMOÇÕES

Cuidando da Criança Interior

MEDITAÇÃO

Cuidando da Criança Interior
——————————————————————————–

” A criança que chora na estrada.
Deixei-a ai quando vim ser quem sou;
Mas hoje, vendo que o que sou é nada,
Quero ir buscar quem fui onde ficou.”
Fernando Pessoa

——————————————————————————–

 
Acomode-se da melhor forma possível.
Observe as orietações básicas para meditar.
Local, silêncio, horário.
 
Pega uma foto da tua infância. A predileta. Aquela que te lembra dos momentos de alegria.
Não possuindo a foto, recorda tua infância. Deixa as lembranças despontarem.
 
Vamos iniciar nossa viagem.
 
Estás dentro de um grande teatro. Estás sozinho e assentado.
Olhas para cortinha fechada no palco aguardando o espetáculo.
 
Olha o palco e sinta-te em paz contigo. O espetáculo começa e as imagens da tua infância surgem ininterrutas. Tua primeira escola, as festas de aniversário, os brinquedos prediletos, as histórias contadas pelos avós, as professoras abençoadas, o carinho dos amigos, as diversões.
 
Pouca luz no ambiente, mas suficiente para te dirigires até o véu que te separa do bastidor. Vá até lá, pois vamos nos preparar para abrir esse véu. Atrás dele encontra-se tua SOMBRA. (A parte da sua personalidade negada ou desconhecidas, cujos conteúdos são incompatíveis com a conduta consciente)
 
Prepara-te; ao contar até três, tu vais abrir o véu com coragem. Um, dois… Três! Vá! Abre a cortina serenamente.
 
SOMBRA. Luz nenhuma, nenhuma luz. Escuridão. Onde estou meu Deus?!
 
Pára. Acalma-te. Tu estás em ti mesmo, não há por que temer. Tua SOMBRA é a criação de tua história evolutiva. Tem calma. Respira fundo e sente-se seguro. Repete por três vezes: Eu estou seguro! Eu estou bem!
 
Agora vê! Tudo escuro, mas tu sabes que podes enxergar. Enxergar com os olhos da alma. Escuta as vozes de ti mesmo! Escuta. Ouve por um instante as vozes interiores.
 
Repentinamente, em meio aos muitos sons, um choro te chama atenção. É um choro de criança. Um choro de medo, baixinho, gostoso de ouvir e ao mesmo tempo preocupante, inspirador de piedade.
 
Quem será? Não posso ver! Acalma-te! Recompõe-te interiormente e caminha na tua sombra. Tu vais encontrar quem chora.
 
Segue a intuição, teus instintos!
 
Lá está! É uma criança. Mentaliza tua criança interior.
 
Agora chega bem pertinho, mas vai devagar para não assustá-la. Coloca-te intimamente com desejo de acolhimento e bondade.
Olha a criança. Tu mesmo em tempos idos. Pequeno(a). Gracioso(a). Entretanto, com medo. Vê como a criança tem medo de ti mesmo. Olhos esbugalhados. Cabelos despenteados. Faltam alguns cuidados à criança. Observa por instante. Sente-a. Evite tocá-la.
 
Agora, ao contar três, oferece a tua mão com o melhor sentimento do seu coração. Prepara-te. Um, dois… Três. Estende a mão. Mãozinha macia, dedinhos curtos. Medo de tocar.
 
Com muito receio, o pequenino(a) aceita.
 
Agora lhe diz: Vamos caminhar? Venha! Quero-o muito bem!
 
——————————————————————————–

A criança que chora na estrada.
Deixei-a ai quando vim ser quem sou;
Mas hoje, vendo que o que sou é nada,
Quero ir buscar quem fui onde ficou.
 
Olá, minha criança! Vim buscar quem fui, onde ficou. Que bom
te reecontrar, pois sei que um dia deixei-te na estrada para
ser quem sou. Voltei agora para te buscar. Perdoe-me por te
abandonar. Enquanto choravas, eu dormia o sono das conquistas
passageiras. Agora estou desperto, vim te buscar.
 
Não te assusutes comigo. Eu não te deixei porque desejava.
Não soube como fazer. Agora retorno a te buscar. Te aceito como
és; incondicionalmente. Tu não és más porque tem imperfeições. Tu
apenas tens imperfeições. Depois de tanto tempo, descobri que não
sou capaz de viver sem teu poder.
 
Quero brincar, pular e ser feliz. Vem ajuda com tua bondade.
Ajuda-me com tua criatividade e espontaneidade.
 
Ah! Minha criança de luz, como te amo! Como quero te amar!
Que vontade de sentir a tua espontaneidade, tua riqueza.
 

——————————————————————————–

 
Agora pergunta: Queres passear comigo por este mundo de sombras?
Ele(a) balança a cabeça como uma criança ridente ao se lhe ofertar uma guloseima.
 
Faz teu passeio. Conversa com o menino(a).
 
“Deixai vir a mim as criancinhas, deles é o reino dos céus”… Ouve teus sentimentos.
 
Agora, cuida de tua criança, arruma-a, porque tu vais levá-la ao palco. Diz a ela que lhe apresentará seu mundo real.
 
Arrume-a.
 
Vamos nos preparar para concluir a viagem interior. Ao contrar três, tu vai passar de volta pela cortina e levar tua criança ao palco.
Quando lá chegar, todas as pessoas da tua vida estarão assentadas nas cadeiras, aguardando para conhecê-la. Tu vais (sem sair do palco) apontar cada pessoa e falar quem é para tua criança. Vamos lá. Um, dois.. Três.
 
Apresenta tua criança ao teu mundo exterior!
 
Agora vamos saudar tua criança. Todos se levantam naquele palco e batem palmas. Muitas palmas de amor para tua criança.
 
O menino(a) corre para ti e te abraça emocionado, feliz. Ele reconhece teu amor.
 
Eu sou pureza! Eu sou luz! Há pureza em meu coração! A vida é um presente para mim!
 
Louvemos na oração a benção desse momento de reecontro.
Ermance Dufaux

Limpeza

Se o espelho  não estiver completamente limpo ele não refletirá a imagem correta.
Sentimentos obscuros, dúvidas, críticas, preocupações,são como nuvens que embaçam a visão real.
Limpeza é uma constante checagem, uma vigilância contra os saqueadores da paz.
Para experimentar conforto em qualquer situação é preciso investir no trabalho profundo.
Polir o intelecto e revelar a forma perfeita. Esse desafio chama-se VIDA.

(B. Kumaris)

Corações Distantes

Um dia, um pensador indiano fez
a seguinte pergunta a seus discípulos:
“Por que as pessoas gritam quando estão aborrecidas?”
“Gritamos porque perdemos a calma”  disse um deles.
“Mas, por que gritar quando a outra pessoa está ao seu lado?” Questionou novamente o pensador.
“Bem, gritamos porque desejamos que a outra pessoa nos ouça”, retrucou outro discípulo.
 
E o mestre volta a perguntar:
“Então não é possível falar-lhe em voz baixa?”
Várias outras respostas surgiram,
mas nenhuma convenceu o pensador.
 
Então ele esclareceu:
“Vocês sabem porque se grita com
uma pessoa quando se está aborrecido?
O fato é que, quando duas pessoas estão aborrecidas,
seus corações se afastam muito.
Para cobrir esta distância precisam gritar
para poderem escutar-se mutuamente.
Quanto mais aborrecidas estiverem,
mais forte terão que gritar para ouvir um
ao outro, através da grande distância.
 

Por outro lado, o que sucede
quando duas pessoas estão enamoradas?
Elas não gritam. Falam suavemente. E por quê?
Porque seus corações estão muito perto.
A distância entre elas é pequena.
Às vezes estão tão próximos seus corações,
que nem falam, somente sussurram.
 
E quando o amor é mais intenso,
não  necessitam sequer sussurrar, apenas se olham, e basta.
 Seus corações se entendem.
É isso que acontece quando duas pessoas  que se amam estão próximas.”
Por fim, o pensador conclui, dizendo:
 
“Quando vocês discutirem, não deixem
que seus corações se afastem,
não digam palavras que os distanciem mais,
pois chegará um dia em que a distância será
tanta que não mais encontrarão o caminho de volta”.
 
Pense nisso!
 
Quando você for discutir com alguém, lembre-se que o coração não deve tomar parte nisso.
Se a pessoa com quem discutimos não concorda com nossas idéias, não é motivo para gostar menos dela ou nos distanciar, ainda que por instantes.
 
Quando pretendemos encontrar soluções para as desavenças, falemos num tom de voz que nos permita uma aproximação cada vez maior, como a dizer para a outra pessoa:
 “Eu não concordo com suas idéias ou opiniões, mas isso não me faz gostar menos de você.”
Pense nisso

O coração tem razões…

SUSAN ANDREWS

VOCÊ SE LEMBRA DAQUELA TOCANTE HISTÓRIA DO LIVRO O PEQUENO PRINCIPE?
Bom, existe uma história mais tocante ainda que aconteceu de fato com o criador do Pequeno Príncipe, o escritor francês Antoine de St. Exupéry.
Poucas pessoas sabem que ele lutou na Guerra Civil Espanhola, quando foi capturado pelo inimigo e levado ao cárcere para ser executado no dia seguinte.
Nervoso, ele procurou em sua bolsa um cigarro, e achou um, mas suas mãos estavam tremendo tanto que ele não podia nem mesmo levá-lo à boca.
Procurou fósforos, mas não tinha, porque os soldados haviam tirado todos os fósforos de sua bolsa.
Ele olhou então para o carcereiro e disse: “Por favor, usted tiene fósforo?”.
O carcereiro olhou para ele e chegou perto para acender seu cigarro.
Naquela fração de segundo, seus olhos se encontraram, e St. Exupéry sorriu.
 
Depois ele disse que não sabia por que sorriu, mas pode ser que quando se chega perto de outro ser humano seja difícil não sorrir.
Naquele instante, uma chama pulou no espaço entre o coração dos dois homens e gerou um sorriso no rosto do carcereiro também.
Ele acendeu o cigarro de St. Exupéry e ficou perto, olhando diretamente em seus olhos, e continuou sorrindo.
St. Exupéry também continuou sorrindo para ele, vendo-o agora como pessoa, e não como carcereiro.
 
Parece que o carcereiro também começou a olhar St. Exupéry como pessoa, porque lhe perguntou: “Você tem filhos?”.
“Sim”, St. Exupéry respondeu, e tirou da bolsa fotos de seus filhos. O carcereiro mostrou fotos de seus filhos também,
 e contou todos os seus planos e esperanças para o futuro deles. Os olhos de St. Exupéry se encheram de lágrimas
quando disse que não tinha mais planos, porque ele jamais os veria de novo. Os olhos do carcereiro se encheram de lágrimas também.
E de repente, sem nenhuma palavra, ele abriu a cela e guiou St. Exupéry para fora do cárcere, através das sinuosas ruas,
para fora da cidade, e o libertou. Sem nenhuma palavra, o carcereiro deu meia-volta e retornou por onde veio. S
t. Exupéry disse: “Minha vida foi salva por um sorriso do coração”.
 
O que foi aquela “chama” que pulou entre o coração desses dois homens? Isso tem sido tema de intensa pesquisa atualmente,
na medida em que os cientistas estão se dando conta de que o coração não é meramente uma bomba mecânica, mas
um sofisticado sistema para receber e processar informações.
De fato, o coração envia mais mensagens ao cérebro que o cérebro envia ao coração!
Como disse o filósofo francês Blaise Pascal: “O coração tem razões que a própria razão desconhece”.
 
Estados emocionais negativos, como raiva ou frustração, geram ondas eletromagnéticas totalmente caóticas do coração,
como se estivéssemos pisando no acelerador e no breque simultaneamente.
Esse estado de batimentos desordenados é chamado de “incoerência cardíaca” e está ligado a
 doença cardíaca, envelhecimento precoce, câncer e morte prematura.
 
Em estados de amor ou gratidão, nosso batimento cardíaco torna-se “coerente”. Isso diminui a secreção dos hormônios do estresse,
reduz a depressão, hipertensão e insônia, melhora o sistema imune e aumenta a clareza mental.
Essa é uma das razões pelas quais tem sido provado que as emoções positivas estão associadas à boa saúde física e mental – e à longevidade.
Essa irradiação coerente do coração – essa “chama” de genuína afeição – pode afetar pessoas a uma distância de até 5 metros!
Logo, na próxima vez em que você estiver numa situação difícil, respire profundamente, lembre-se de
St. Exupéry e do Pequeno Príncipe e irradie a energia de seu coração. Como o Pequeno Príncipe nos lembrou,
“somente com o coração podemos ver com clareza”.

Vigie-se

Não deixe cair o seu ânimo perante as situações difíceis.
 
Mesmo com esforço, exerça o controle das emoções e procure
o conforto interior. Desenvolva as idéias boas, altruístas e
positivas que geram esse conforto interior e afaste
os pensamentos maus ou raivosos que
originam decepções e revolta.
 
Vigie-se. Não cause agravo a ningúem e nem se sinta agravado.
Toda tristeza negativa, o ódio ou egoísmo deixa em você um
sinal negro, como o rastilho de póvora na arma de fogo.
 
A paz e a vitória sobre si mesmo são criações suas.

 
Lourival Lopes


Criado em 19 JUL 08

  • 2,865,810 visitas

Enter your email address to subscribe to this blog and receive notifications of new posts by email.

Junte-se a 744 outros seguidores

Loja Virtual

Quero uma cesta de Páscoa assim 💕 #morri Kkkkkk #dogs #fofuratotal #cute #cute #pascoa 2017 #regram @bikke_gakuen

Mensagens (Ordem Alfabética)