Archive for the 'Auto-Amor' Category

Amar demais é ruim?

Amar demais é ruim?
Acho que o amor não tem medida, não tem limite e nunca é ruim.
A síndrome está mal batizada: deveria ser chamada de “Pessoas que se amam Pouco”.
Porque se a gente está sufocando o outro… é porque está sobrando pouco afeto pra nós mesmos!

Caminhada

Você é FELIZ?

Autonomia

“Eu faço as minhas vontades e você faz as suas. Eu não estou neste mundo para viver de acordo com suas expectativas e você não está neste mundo para viver de acordo com as minhas. Eu sou eu e você é você. Se um dia nos encontrarmos, vai ser lindo! Se não, nada há de se fazer.”

Frederick Perls

Fomos treinados para ter medo de pensar bem sobre nós ou sobre a capacidade de gerenciar nossos caminhos. Fomos treinados para atender as expectativas. Fazendo isso medimos nosso valor pessoal pela avaliação que os outros fazem de nós. Por medo de rejeição, em muitas situações, agimos contra os sentimentos apenas para agradar e sentir-se incluído, aceito. Quem se define pelo outro, necessariamente tombara em conflitos e decepções, mágoas e agastamentos.

Autonomia é a maior defesa da alma porque estabelece limites, produz a serenidade, dilata a autoconfiança e coloca-nos em contato com Deus.

Em algumas ocasiões, a conquista da autogerencia requer solidão e recomeço. Às vezes precisamos de muita coragem para abandonar estruturas que construímos durante a vida e seguir os sinais que nos indicam novos caminhos. Nessa fase o medo aparece. Esse medo surge porque gostaríamos de contar apenas com o êxito em nossas escolhas. Adoramos respostas e soluções imediatas, prontas pra usarmos. Nessa hora teremos que escutar nossos sentimentos e seguir. Ouvi-los não quer dizer escolher o certo, mas optar pelo caminho particular em busca da experiência sentida e conquistada dentro da sua realidade.

Libertar-se do ego é um parto psicológico. A sensação de insegurança é iminente. Mas o resultado libertador. Essa liberdade psíquica e emocional da alma é uma conquista pessoal.

O individuo autônomo tem 4 principais características:

1-      Auto-estima: É o aprendizado do valor pessoal. Quem se ama sabe sua real importância.

2-      Resistência Emocional: É a capacidade de suportar os próprios sentimentos, que muitas vezes levam-nos a crises e opressões. Atravessar dores amadurece.

3-      Saber o que se quer: Somente fazendo escolhas, descobrimos nossas aspirações. Algumas dessas escolhas incluem a corajosa decisão de romper com velhas “muletas mentais”.

4-      Escutar os sentimentos: Nos sentimentos está o mapa de nosso plano divino. Aprender a ouvi-los sem os ruídos da ilusão será a nossa sintonia com o “Deus Interno”.

A ausência da autonomia pode nos levar à condição de mendigos de amor ou vitimas do destino. Considerando-a como gestora da almejada condição de “sentir-se bem” perante a existência, na sua falta o ser humano debate-se em flagelos morais lamentáveis que o escravizam a condutas autodestrutivas, tais como conflitos crônicos, mágoas permanentes, baixo tolerância a frustrações, projeções psicológicas nos outros, vergonha de si.

Imperisoso saber quem somos, pois do contrario, seremos quem querem que sejamos.

Jesus, nosso divino Tutor asseverou: “Pois que aproveita ao homem ganhar o mundo inteiro, se perder a sua alma? Ou que dará o homem em recompensa da sua alma?”

A colocação de Jesus é rica de clareza acerca da autonomia como sendo nossa maior defesa na rota de ascensão.

Ermance Dufaux

Transformação

Serenidade Sempre

Recomeçar (Faxina da Alma)

Paulo Roberto Gaefke
(não é de Carlos Drummond de Andrade)

Não importa onde você parou…
em que momento da vida você cansou…
o que importa é que sempre é possível e necessário
“Recomeçar”.

Recomeçar é dar uma nova chance a si mesmo…
é renovar as esperanças na vida e o mais importante…
acreditar em você de novo.

Sofreu muito nesse período?
foi aprendizado…

Chorou muito?
foi limpeza da alma…

Ficou com raiva das pessoas?
foi para perdoá-las um dia…

Sentiu-se só por diversas vezes?
É por que fechaste a porta até para os anjos…

Acreditou que tudo estava perdido?
Era o início da tua melhora…

Pois é…agora é hora de reiniciar…de pensar na luz…
de encontrar prazer nas coisas simples de novo.

Que tal um novo emprego? Uma nova profissão?
Um corte de cabelo arrojado… diferente?
Um novo curso… ou aquele velho desejo de aprender a
pintar… desenhar… dominar o computador…
ou qualquer outra coisa…

Olha quanto desafio…
quanta coisa nova nesse mundão de meu Deus te esperando.

Tá se sentindo sozinho? besteira…
tem tanta gente que você afastou com
o seu “período de isolamento”…
tem tanta gente esperando apenas um sorriso teu
para “chegar” perto de você.

Quando nos trancamos na tristeza…
nem nós mesmos nos suportamos…
ficamos horríveis… o mal humor vai comendo nosso fígado…
até a boca fica amarga.

Recomeçar…
hoje é um bom dia para começar novos desafios.

Onde você quer chegar?
Vá alto… sonhe alto… queira o melhor do melhor…
queira coisas boas para a vida…
pensando assim trazemos prá nós aquilo que desejamos…

Se pensamos pequeno… coisas pequenas teremos…
já se desejarmos fortemente o melhor e
principalmente lutarmos pelo melhor…
o melhor vai se instalar na nossa vida.

E é hoje o dia da faxina mental…
jogar fora tudo que te prende ao passado…
ao mundinho de coisas tristes…
fotos… peças de roupa, papel de bala…
ingressos de cinema… bilhetes de viagens…
e toda aquela tranqueira que guardamos
quando nos julgamos apaixonados…

jogue tudo fora… mas principalmente…
esvazie seu coração… fique pronto para a vida…
para um novo amor…

Lembre-se somos apaixonáveis…
somos sempre capazes de amar muitas
e muitas vezes… afinal de contas…
Nós somos o “Amor”…

Deixe de Sofrer!

“Porque motivo eu tenho que sofrer tanto assim?

Porque as pessoas são tão ruins comigo?”

 A pergunta certa seria:

 “Como eu atraí tanto sofrimento em minha vida? ”

 Sim porque foi você que atraiu não só os tipos de pessoas com as quais tem convivido

como os fatos desagradáveis que lhe acontecem.

 

Tudo isso tem uma causa. Suas atitudes diante da vida, a maneira como olha os fatos do dia-a-dia.

Muitas pessoas dizem que tentaram tudo, mas nada da certo.

Fizeram muitas coisas fora de si, mas nunca olharam para dentro de suas crenças nem mudaram

a verdadeira causa, porque não se julgam responsáveis pelo que lhes acontece.

 

Você vê a vida de forma negativa. Como não acredita em vida melhor,

aceita como naturais todas as maldades dos outros contra você.

Acredita na força do mal, por isso só atrai o mal.

 

Para mudar a sua vida você não precisa tomar nenhuma providência externa,

basta modificar suas atitudes. Se persistir, em pouco tempo as coisas começarão a se modificar.

Às vezes essas mudanças são radicais. Seja o que for acontecer, não tenha medo.

Elas são para melhor. Continue evitando pensar no mal e acreditando no bem.

 Quando tudo vai mal, a única saída para melhorar é pensar no bem.

Zibia Gasparetto

Cuidando da Criança Interior

MEDITAÇÃO

Cuidando da Criança Interior
——————————————————————————–

” A criança que chora na estrada.
Deixei-a ai quando vim ser quem sou;
Mas hoje, vendo que o que sou é nada,
Quero ir buscar quem fui onde ficou.”
Fernando Pessoa

——————————————————————————–

 
Acomode-se da melhor forma possível.
Observe as orietações básicas para meditar.
Local, silêncio, horário.
 
Pega uma foto da tua infância. A predileta. Aquela que te lembra dos momentos de alegria.
Não possuindo a foto, recorda tua infância. Deixa as lembranças despontarem.
 
Vamos iniciar nossa viagem.
 
Estás dentro de um grande teatro. Estás sozinho e assentado.
Olhas para cortinha fechada no palco aguardando o espetáculo.
 
Olha o palco e sinta-te em paz contigo. O espetáculo começa e as imagens da tua infância surgem ininterrutas. Tua primeira escola, as festas de aniversário, os brinquedos prediletos, as histórias contadas pelos avós, as professoras abençoadas, o carinho dos amigos, as diversões.
 
Pouca luz no ambiente, mas suficiente para te dirigires até o véu que te separa do bastidor. Vá até lá, pois vamos nos preparar para abrir esse véu. Atrás dele encontra-se tua SOMBRA. (A parte da sua personalidade negada ou desconhecidas, cujos conteúdos são incompatíveis com a conduta consciente)
 
Prepara-te; ao contar até três, tu vais abrir o véu com coragem. Um, dois… Três! Vá! Abre a cortina serenamente.
 
SOMBRA. Luz nenhuma, nenhuma luz. Escuridão. Onde estou meu Deus?!
 
Pára. Acalma-te. Tu estás em ti mesmo, não há por que temer. Tua SOMBRA é a criação de tua história evolutiva. Tem calma. Respira fundo e sente-se seguro. Repete por três vezes: Eu estou seguro! Eu estou bem!
 
Agora vê! Tudo escuro, mas tu sabes que podes enxergar. Enxergar com os olhos da alma. Escuta as vozes de ti mesmo! Escuta. Ouve por um instante as vozes interiores.
 
Repentinamente, em meio aos muitos sons, um choro te chama atenção. É um choro de criança. Um choro de medo, baixinho, gostoso de ouvir e ao mesmo tempo preocupante, inspirador de piedade.
 
Quem será? Não posso ver! Acalma-te! Recompõe-te interiormente e caminha na tua sombra. Tu vais encontrar quem chora.
 
Segue a intuição, teus instintos!
 
Lá está! É uma criança. Mentaliza tua criança interior.
 
Agora chega bem pertinho, mas vai devagar para não assustá-la. Coloca-te intimamente com desejo de acolhimento e bondade.
Olha a criança. Tu mesmo em tempos idos. Pequeno(a). Gracioso(a). Entretanto, com medo. Vê como a criança tem medo de ti mesmo. Olhos esbugalhados. Cabelos despenteados. Faltam alguns cuidados à criança. Observa por instante. Sente-a. Evite tocá-la.
 
Agora, ao contar três, oferece a tua mão com o melhor sentimento do seu coração. Prepara-te. Um, dois… Três. Estende a mão. Mãozinha macia, dedinhos curtos. Medo de tocar.
 
Com muito receio, o pequenino(a) aceita.
 
Agora lhe diz: Vamos caminhar? Venha! Quero-o muito bem!
 
——————————————————————————–

A criança que chora na estrada.
Deixei-a ai quando vim ser quem sou;
Mas hoje, vendo que o que sou é nada,
Quero ir buscar quem fui onde ficou.
 
Olá, minha criança! Vim buscar quem fui, onde ficou. Que bom
te reecontrar, pois sei que um dia deixei-te na estrada para
ser quem sou. Voltei agora para te buscar. Perdoe-me por te
abandonar. Enquanto choravas, eu dormia o sono das conquistas
passageiras. Agora estou desperto, vim te buscar.
 
Não te assusutes comigo. Eu não te deixei porque desejava.
Não soube como fazer. Agora retorno a te buscar. Te aceito como
és; incondicionalmente. Tu não és más porque tem imperfeições. Tu
apenas tens imperfeições. Depois de tanto tempo, descobri que não
sou capaz de viver sem teu poder.
 
Quero brincar, pular e ser feliz. Vem ajuda com tua bondade.
Ajuda-me com tua criatividade e espontaneidade.
 
Ah! Minha criança de luz, como te amo! Como quero te amar!
Que vontade de sentir a tua espontaneidade, tua riqueza.
 

——————————————————————————–

 
Agora pergunta: Queres passear comigo por este mundo de sombras?
Ele(a) balança a cabeça como uma criança ridente ao se lhe ofertar uma guloseima.
 
Faz teu passeio. Conversa com o menino(a).
 
“Deixai vir a mim as criancinhas, deles é o reino dos céus”… Ouve teus sentimentos.
 
Agora, cuida de tua criança, arruma-a, porque tu vais levá-la ao palco. Diz a ela que lhe apresentará seu mundo real.
 
Arrume-a.
 
Vamos nos preparar para concluir a viagem interior. Ao contrar três, tu vai passar de volta pela cortina e levar tua criança ao palco.
Quando lá chegar, todas as pessoas da tua vida estarão assentadas nas cadeiras, aguardando para conhecê-la. Tu vais (sem sair do palco) apontar cada pessoa e falar quem é para tua criança. Vamos lá. Um, dois.. Três.
 
Apresenta tua criança ao teu mundo exterior!
 
Agora vamos saudar tua criança. Todos se levantam naquele palco e batem palmas. Muitas palmas de amor para tua criança.
 
O menino(a) corre para ti e te abraça emocionado, feliz. Ele reconhece teu amor.
 
Eu sou pureza! Eu sou luz! Há pureza em meu coração! A vida é um presente para mim!
 
Louvemos na oração a benção desse momento de reecontro.
Ermance Dufaux

Fardos Inúteis

Paulo Roberto Gaefke
Conta uma lenda, que dois monges que atravessavam uma área deserta, quando diante de um rio violento,
avistaram uma linda jovem que tentava atravessá-lo sem sucesso.
Um dos monges, não sem dificuldades,
Atravessou o rio e colocando a mulher em suas costas Conseguiu atravessar o rio em segurança.
A jovem abraçou-o agradecida,
Comovida com o seu gesto e seguiu seu caminho…

Retomando a jornada, o outro monge que assistiu a tudo calado, repreendeu o amigo, falando do contato carnal que houve com aquela jovem, da tentação de ter aquele contato mais direto com uma mulher,
O que era proibido pelas suas leis e durante um bom trecho do caminho, esse monge falou sobre a mulher e sobre o pecado cometido até que aquele que ajudou a jovem na travessia falou:

Querido amigo, eu atravessei o rio com a jovem e lá eu a deixei, mas você ainda continua carregando-a em seus pensamentos…

Assim, todos sabem que Deus não nos dá fardos maiores que aqueles que podemos suportar, e muitos dos nossos fardos já poderiam estar abandonados em outras curvas da vida,
mas nós insistimos em carregá-los.

Levamos nossas dores e frustrações ao extremo.
Dramatizamos demais, elevamos ao cubo cada dor, cada ofensa, cada contrariedade e por isso, não conseguimos relaxar, perdoar ou mesmo ser feliz, pois o peso que vamos acumulando em nossas costas são demais para qualquer cristão.

Neste dia especial, eu lhe convido a uma reflexão.
Quais são os fardos que você continua carregando e que já não estão mais com você?
Qual é a dor que você anda revivendo e fazendo com que velhas feridas voltem a sangrar?
Por que você não consegue perdoar quem lhe magoou?
Quantas oportunidades você anda deixando para trás por estar amarrado ao passado?
Desarme-se dos velhos pensamentos;
Do espírito da revolta, da tristeza.
Hoje é dia de desmontar o velho acampamento do comodismo e seguir adiante na longa jornada que a vida apresenta.
Quanto mais leve a sua mochila, mais fácil a subida rumo a felicidade…

Essa é a vida!

É preciso saber sempre quando se acaba uma etapa da vida.
Se insistirmos em permanecer nela depois do tempo necessário, perderemos a alegria e o sentido do resto.
 
Fechando círculos, fechando portas ou fechando capítulos, como queiras chamar, o importante é poder fechá-los, deixar ir momentos da vida que vão se enclausurando.

Terminou seu trabalho?
Acabou a relação?
Já não mora mais nessa casa?
Deve viajar?
A amizade acabou?
 
Você pode passar muito tempo do seu presente  dando voltas ao passado, tentando modificá-lo…
O desgaste será infinito,  porque na vida você, seus amigos, filhos, irmãos, todos estamos destinados a fechar capítulos, virar páginas, terminar etapas ou momentos da vida – e seguir adiante.
Não podemos estar no presente sentindo falta do passado.
O que aconteceu, aconteceu.
Não podemos ser filhos para sempre, nem adolescentes eternos,
 nem empregados de empresas inexistentes ou ter vínculos
com quem não quer estar vinculado a nós.
Os acontecimentos passam e temos que deixá-los ir!
 
Por isso, às vezes é  tão importante se esquecer de lembrar, trocar de casa, rasgar papéis, jogar  fora presentes desbotados, dar ou vender livros…
 
As mudanças externas podem simbolizar processos interiores de superação. Deixar ir, soltar, desprender-se…

Na vida ninguém joga com cartas marcadas – todos temos que aprender a  perder e a ganhar.
O passado passou: não espere que o devolvam.
Também não espere reconhecimento nem que saibam
quem você é.
 
A vida segue para frente, nunca para trás.

Se você anda pela vida deixando portas abertas nunca poderá se desprender, nem viver o hoje com satisfação.
 
Namoros ou amizades que não se fecham,
possibilidades de regresso a quê?
Necessidade de esclarecimentos, palavras que não
foram ditas, silêncios…
Se você pode enfrentá-los agora, que o faça!
 
Não por orgulho ou soberba,  mas porque você já não se encaixa ali, naquele lugar, naquele coração, naquela casa, naquele escritório, naquele cargo…
Você já não é o mesmo que foi há dois dias, há três meses, há um ano… Portanto, nada tem que voltar.
Feche a porta, vire a página, feche o círculo!
Você nunca será o mesmo, nem o mundo à sua volta, porque a vida  não é estática.
É para sua saúde mental, é ter amor por si mesmo, desprender-se do que já não está em sua vida. Lembre-se de que nada, nem ninguém é indispensável.  É um trabalho pessoal aprender a viver com o que dói, deixar-se ir.
É  processo de aprender a desprender-se.
E isso ajudará definitivamente a seguir para frente
com tranqüilidade.

Essa é a vida!

Desconheço a autoria

Amar-se

“Que eu faça um mendigo sentar-se à minha mesa, que eu perdoe aquele que me ofende
e me esforce por amar, inclusive o meu inimigo, em nome de Cristo,
tudo isto, naturalmente, não deixa de ser uma grande virtude.
 
O que faço ao menor dos meus irmãos é ao próprio Cristo que faço.
 
Mas o que acontecerá, se decubro, porventura, que o menor, o mais miserável de todos,
o mais pobre dos mendigos, o mais insolente dos meus caluniadores, o meu inimigo,
reside dentro de mim, sou eu mesmo, e precisa da esmola da minha bondade,
e que eu mesmo sou o inimigo que é necessário amar?”
 
Carl Gustav Jung

Educação para o Auto Amor

Responsabilidade:
Somos os unicos responsáveis pelos nossos sentimentos.
Assumir essa responsabilidades é sair do papel de vítimas e tomarmos as rédeas de nossas vidas.
 
Consciência:
O sentimento expressa os recados da consciência.
Nossos sentimentos são a porta que se abre para nosso mundo glorioso, oculto dentro de nós.
 
Ética para conosco:
Somos tratados como nos tratamos. Como sermos merecedores de amor do outro,
se nao recebemos nem o nosso próprio?
 
Juízo de valor
Não existem sentimentos certos ou errados.
 
Domínio de si:
Educar sentimentos é tomar posse de nós próprios.
 
Aceitação:
Aceitar nossas imperfeições é ter uma relação pacífica conosco mesmos.
Culpar-se não ajuda.
 
Renovação do sistema de crenças:
Superar os preconceitos, julgamentos e crenças desenvolvidas com
base na opinião alheia desde a infância.
 
Assertividade:
Escutar o que o coração nos pede e agir de acordo com esse pedido.
 
Indenficação das intenções:
Aprender a reconhecer o que queremos.
Quase sempre somos treinados a saber o que não quereremos.

Ermance Dufaux

Auto amor

O exercício do auto-amor está em aprender a ouvir a “voz do coração”,
pois nele residem os ditames para nossa paz e harmonia.
 
Os sentimentos são guias infalíveis da alma na sua busca de ascensão e liberdade.
O auto-amor consite na arte de aprender a escutá-los, estudar a linguagem do coração.
 
Mas como seguir nossos sentimentos com tantas ilusões?
 
Temos nos esforçado tanto quanto possivel para sermos melhores com o próximo.
 
Mas… E nós? Como cuidar de nós próprios?
A propósta de Jesus estabelece:
“Amai ao próximo”, e acrescenta: “como a ti mesmo”.
Só conseguimos dar aos outros aquilo que damos a nós mesmos.
 
Fique claro: auto-amor não é treinar o pensamento para beneficiar a si,
mas educar o sentimento para “escutar” Deus em nós.
Descobrir nosso valor pessoal na Obra da Criação.

Ermance Dufaux

Escutando a alma

O sentimento, é a nossa maior conquista evolutiva.
Aprendendo a escutá-lo, estaremos entendendo melhor a nossa alma.
Não existe um só sentimento que não tenha importância no processo do crescimento pessoal.
Quando digo a mim mesmo “não posso sentir isso”, simplesmente estou desprezando a
oportunidade de auto-investigação, de saber qual é ou quais são
 as mensagens profundas da minha vida mental.
 
Escutar os sentimentos é cuidar de si, amar a si mesmo.
É uma mudança de atitude consigo.
O ato de existir ocorre no sentimento.
Quem pensa corretamente sobrevive; quem sente nobremente existe.
O pensamento é a janela para a realidade; o Sentimento é o ponto de encontro com a verdade.
 
É pela nossa forma de sentir a vida que nos tornamos singulares,
únicos e celebramos a individualidade.
Quando entramos em sintonia com nossa exclusividade e manifestamos o
que somos, a felicidade acontece em nossas vidas.

Ermance Dufaux


Criado em 19 JUL 08

  • 2,881,839 visitas

Enter your email address to subscribe to this blog and receive notifications of new posts by email.

Junte-se a 747 outros seguidores

Loja Virtual

Hora de empacotar em 1,2,3 😍😍😍 criança amada dorme tranquila!  Lulu lindo da mamãe @meuladomaterno 
Unicórnio azul disponível em
http://www.gentequeadora.com.br/

Mensagens (Ordem Alfabética)